Homilia em português para 4 de setembro, XXIII domingo em tempo ordinário, ciclo A


Homilia para 4 de setembro, XXIII domingo em tempo ordinário, ciclo A

No Brasil, o mês de setembro é o “mês da Bíblia”. É muito bom lembrar quanto é importante a Sagrada Escritura em nossas vidas, pois é a Palavra viva de Deus, que contêm muitas lições importantes para nossa vida diária. Hoje, lemos na leitura da carta de São Paulo aos Romanos que “O amor é o cumprimento perfeito da Lei.” Isso ecoa as palavras do Senhor que disse que toda a lei e os profetas podem-se resumir nos mandamentos de amar Deus e nossos irmãos.

Isso não é tão facil como parece, porque muitas vezes as pessoas erram pensando que o amor de que fala a Bíblia é simplemente aceitação e afirmação. Essas são partes do amor, mas não se devem aceitar e afirmar todos os tipos de comportamento. Se o que uma pessoa faz é danoso a ela ou a outras pessoas, ou é ofensivo a Deus, o amor autêntico deve fazer que procuremos ajudar àquela pessoa a reformar sua conduta por seu próprio bem e pelo bem da comunidade. Ainda se isso falhe, a caridade e a justiça exigem que procuremos minimizar o dano físico e espiritual que pode resultar do seu comportamento.

Este dever tradicionalmente se chama “correção fraterna”, e é descrito tanto na primeira leitura como no Evangelho. É acima de tudo a responsabilidade de pessoas em posições de autoridade moral. Na primeira leitura, Deus dá esta tarefa explicitamente ao profeta Ezequiel. Ele foi enviado por Deus a proclamar a verdade e a guiar o povo de Israel, assim que se ele não fizera o esforço de protegê-los instruindo-os a evitar o pecado, Deus pediria-lhe contas das pessoas que se desviaram. No Evangelho, Jesus está falando particularmente a seus discípulos mais íntimos, os que se viraram seus primeiros apóstolos e missionários.

Cada um de nós é pecador, e todos precisamos de ajuda às vezes para ficar no caminho justo. Pode ser fácil desviar-nos um pouco por causa de fraqueza, negligência, ignorância, ou confusão. Por isso é o dever dos bispos e sacerdotes pregar sobre o tema do pecado de vez em quando, e ocasionalmente de falar com indivíduos em privado ou, em alguns casos raros, em público, para invitá-los a ter uma maior fidelidade no viver a fé. Não quer dizer que estamos julgando as intenções das pessoas, ou que pensamos que somos melhores que as outras pessoas, mas simplesmente que queremos ajudar a todas as pessoas a chegarem ao céu. E por certo, nós mesmos somos imperfeitos. Eu acho que muitos bispos e padres prefeririam pregar só do amor de Deus e sua misericordia, mas estaríamos fugindo dos nossos deveres. Somos chamados a ser como os salva-vidas na praia da vida, procurando avisar as pessoas para não topar com pedras escondidas na água e para desviarem das regiões perigosas onde os correntes podem prender as pessoas e afogá-las. Quando for necessário, mergulhamos na água com a fé e os sacramentos como instrumentos de resgate, e procuramos trazer as pessoas de novo nas águas mais seguras.

Muitos de vocês são pais, que também tem este dever para com seus filhos, e até um certo ponto, todos nós temos esta responsabilidade pelos outros. Como vocês sabem da sua própria experiência, é quase uma arte saber o quê dizer e quando dizê-lo. Às vezes o nosso conselho, por mais que seja bem intencionado, vem entendido numa maneira completamente errada. Ainda assim, temos que fazer o esforço. Por isso, precisamos pedir que Deus nos conceda sua sabedoria, procuramos conselho de outras pessoas, e rezamos pelas pessoas que cremos serem desviados.

O mais importante é sempre lembrarmos que o nosso primeiro dever é amar. Jamais devemos julgar mal as pessoas, ou falar mal delas, ou sequer comentar seus erros se não for necessário. Nem devemos tentar corrigê-las se nós estamos com muita raiva. Se sentimos que é nosso dever o corriger alguma pessoa, devemos fazê-lo com caridade e respeito. Sempre devemos ser motivados pelo amor, procurando a salvação de todos, e agradecendo se alguém nos ajuda a descobrir os nossos próprios pecados, pois eles nos terão ajudado a chegar ao céu. E especialmente durante este mês, mas também durante todo o ano, façamos um esforço particular para ler e estudar a Bíblia, que nos ensina como Deus nos ama e como nós devemos amar Deus e nossos irmãos.

Advertisements

About Matthew Green

I am a translator, origami artist/teacher, and photographer, a blogger, former philosophy professor, and I love to sing. You can see my photos on Flickr and buy prints of some of them on Fine Art America. You can find me on Instagram, Twitter (@mehjg), and in various and sundry other social media sites on the web.
This entry was posted in Homilies and tagged , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s